• ju9102

RECOMEÇOS DE CARREIRA

Nas últimas semanas o esporte viu grandes nomes do tênis aposentarem suas raquetes. Serena Williams, Bruno Soares e mais recentemente, Roger Federer.

Imagina-se que atletas com esse nível esportivo planejaram como seria esse processo de aposentadoria e, principalmente, como será a vida a partir de agora. Afinal, infelizmente, um atleta não pode competir pra sempre (bem que a gente queria ver Federer e companhia jogando eternamente não é mesmo?).


Tudo na vida tem um começo e um fim, e facilita muito quando existe um processo para seguir e não ser pego de surpresa ou ficar perdido por não saber qual caminho tomar. E não estamos falando apenas de atletas de alto rendimento. Se o esporte faz parte do seu dia a dia, mesmo que amador, quando chega a hora de parar (por tempo, lesão ou falta de oportunidades) é importante que esse momento tenha sido estruturado ao longo da sua carreira.


Pensando nisso, convidamos uma antiga parceira da Soul para dar algumas dicas para que a decisão sobre o fim da carreira esportiva seja tomada de maneira sólida e consciente: Babi Teles é Fundadora da Paxe, mineira de Belo Horizonte, formada em Jornalismo e ex-atleta de natação. Fez vestibular em 2002, pensando no Jornalismo Esportivo, para combinar as paixões pelo esporte e escrita.


> Quando decidimos deixar de fazer algo que ‘fizemos a vida inteira’, de um modo geral nos deparamos com dois sentimentos intensos e, talvez, contraditórios: extremo entusiasmo e motivação; ou medo.

Medo de não dar conta, de não conseguirmos ser remunerados como éramos antes, de não sermos reconhecidos por aqueles que nos importam.


E extremo entusiasmo pelo novo, por realizar feitos inéditos e por reescrever a nossa própria história.


Assim, minha recomendação para recomeços de carreira é você mergulhar em si mesmo, sob três pilares fundamentais, para que o passo da tomada de decisão seja sólido e consistente. Percalços e incertezas fazem parte de qualquer processo de mudança, então quanto mais ancorados em nós mesmos estivermos, maior a probabilidade dos momentos de crise serem transformados em poderosas oportunidades.


  1. Autoconhecimento: busque profunda clareza sobre seus valores, pontos fortes, talentos e diferenciais. Saber quem se é vai te levar a caminhos autênticos e a tomadas de decisões corajosas, ou seja, que demandam riscos, mas que estão seguras em princípios positivos e propositivos que gerem valor. Uma pergunta que ajuda nesse momento é: “qual problema me motiva a resolver e tenho competência para?”. Decidir sobre os novos caminhos em uma perspectiva ‘de dentro para fora’ tende a manter o entusiasmo e a auto realização, que reforçam nossa autoconfiança e autoestima para persistir.

  2. Finanças: descobrir quanto você pode agregar aos novos negócios é fundamental. Entretanto, é importante dizer que, embora você venha com bagagem, todo (re) começo é difícil. Assim, é essencial que você entenda seu tempo de reserva financeira (ex: “quanto tempo eu posso ficar sem ser remunerado até que eu consiga reputação nessa nova atividade?”; ou “qual é o mínimo que eu devo receber para não comprometer minha saúde financeira, a curto, médio e longo prazo?”). Fazer planejamento financeiro é a base para o equilíbrio mental. Sem saúde financeira derrapamos no medo, na insegurança e tendemos a desistir, desacreditando que aquele novo caminho vai nos levar aos nossos patamares de consumo e comportamentos sociais.

  3. Rede de Apoio: Como diria Guimarães Rosa, “A colheita é comum, mas o capinar é sozinho”. Ninguém conquista nada só por si mesmo, entretanto, o processo de transição e mudança de vida e carreira requer passos solitários. Assim, o que sugiro é que você, ao tomar a decisão de buscar nova atuação, converse com familiares e amigos, exercitando bastante transparência e vulnerabilidade. Inclusive, a depender da sua análise financeira, refaça combinados (otimizar gastos, mudar o padrão de vida por um tempo, vender carro, mexer em poupanças, etc). Contar com pessoas que te ancoram emocionalmente é base para reforço de confiança e autoestima, além de te favorecer no networking. Quanto mais clareza você apresentar sobre seu novo momento, sonhos, desejos e necessidades, mais reciprocidade e apoio você encontrará nas conexões que te levarão aos novos destinos.

18 visualizações0 comentário