Por que os atletas estão “apostando em si mesmos” quando se trata endossos?

Esse é um assunto extremamente interessante para os dois lados: empresas e atletas. Falamos muito por aqui sobre novas formas de interação no mercado esportivo e evitamos usar a palavra "patrocínio", porque acreditamos que vai muito além do investimento financeiro.


"Apostar em si mesmo" é o indicador mais forte que uma marca pode ter de que o atleta esta realmente investido, não só na carreira e na vida dele, como também na marca que está apoiando. Pelo menos, a meu ver e aos olhos do empresário Vince Sirianni, que lidera uma empresa de negócios de talentos no esporte e outros nichos, essa é uma grande oportunidade para marcas e atletas.


Atletas estão embarcando em acordos de endosso com base em participação na empresa. O famoso nome gringo "equity-based". Ou seja, o atleta entra como sócio da marca que está apoiando, visando um maior envolvimento e uma parceria de longo prazo.


Essa nova categoria de negociação está se tornando cada vez mais comum, especialmente entre atletas e empresas que estão em estágio inicial e que não estão em posição de grandes marcas como Nike, onde podem oferecer contratos multimilionários de primeira!


É um processo muito similar a um investimento, os riscos são dos dois lados. E aí vem o pulo do gato. O atleta PRECISA estar envolvido, é de interesse dele que a marca cresça e se desenvolva. E para marca é importante que o atleta tenha rendimento, resultado, engajamento e um marketing positivo, visto que ela esta dando parte da empresa dela para ele. Diferentes de "patrocínios tradicionais", o atleta está se envolvendo em uma jornada de vários anos por uma marca sem garantia de sucesso.


Outro grande diferencial é o envolvimento do atleta no desenvolvimento de produtos. A experiência e a proximidade com o consumidor, faz com que o atleta possa trazer insights muito relevantes para a marca.


Essa categoria de negociação é uma excelente oportunidade a ser explorada para atletas de diferentes níveis! Claro que o atleta que já esta no alto rendimento pode ter uma vantagem ao negociar, pois, ele já vem com uma bagagem. Mas o atleta que está construindo a sua carreira e tem muito claro seus objetivos, sabe onde quer chegar, quais são os seus valores agregados ou então tem conhecimento sobre a importância de compartilhar conteúdo, com certeza consegue pensar em negociações como essa.


Lembrem, o pulo do gato é APOSTAR EM SI MESMO e estar disposto a construir junto de marcas que acreditam no seu potencial.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo