• Leticia Cupulille

Não é a primeira, nem será a última. Qual o segredo para liberdade de expressão?

Em meio a intenso debate sobre manifestações políticas e liberdade de expressão no meio esportivo, hoje abordaremos o peso que o posicionamento do atleta possui sobre sua própria carreira e sobre sua modalidade.


Não é a primeira vez que um atleta se posiciona em rede nacional e sofre as consequências de seus atos. Recentemente revivemos a história de Colin Kaepernick, atleta negro de futebol americano que em 2016 resolveu ajoelhar durante o hino americano como forma de protesto contra desigualdade e brutalidade racial. Assunto que veio à tona este ano novamente. Kaepernick não foi apenas cancelado nas redes sociais como sua carreira como atleta chegou ao fim. Seu contrato não foi renovado e nenhum time da NFL (Liga de futebol americano) quis contratá-lo.


Nesse fim de semana, Carol Solberg, filha da ex atleta Isabel Salgado, que é uma das líderes do movimento esporte pela democracia, se expressou contra o governo brasileiro. Contudo, não foi o seu posicionamento que atraiu toda essa repercussão.


A Confederação Brasileira de Vôlei, através de uma nota de repúdio, trouxe o debate à tona.


“A Comissão Nacional de Atletas vem, através desta, ressaltar que não é favorável a nenhum tipo de manifestação de cunho político em competições esportivas.”


Muitos atletas do vôlei também estão se posicionado sobre o caso.


“Vivemos (ainda) em um país DEMOCRÁTICO, onde atletas ou qualquer ser humano pode expressar suas convicções, desde que elas não sejam ofensivas, criminosas ou que faltem com respeito… Portanto, não foi muito feliz a nota escrita pela CBV”, disse a Bicampeã olímpica, a central Fabiana.


É válido ressaltar a importância e a dificuldade de encontrar o equilíbrio relativamente ao posicionamento do atleta em uma realidade onde redes sociais e qualquer outro canal midiático é tido como vitrine.


De acordo com Débora Saldanha, a nossa capitã de gestão de imagem, marketing e branding, a imagem é muito sobre autenticidade. Em hipótese alguma você deve deixar de ser quem é! Apenas deve alinhar conteúdo, formas de se expressar, numa mescla de vida profissional e pessoal. Assim você conseguirá ter as rédeas de sua carreira de forma mais verdadeira e íntegra, além de - com certeza - atrair mais visibilidade.


O posicionamento da Carol pode não ser bem-visto por colaboradores e patrocinadores do esporte. Entretanto, a liberdade de expressão é direito de todo e qualquer cidadão, tendo a própria CBV se manifestado em defesa desse direito em 2018, quando atletas da seleção brasileira masculina de vôlei demonstraram apoio ao então candidato à presidência do país.

Dúvidas? Entre em contato com o nosso time:

contato@soulbrasil.co

© 2020 SOUL BRASIL ESPORTES | Plataforma esportiva de auto-gestão e desenvolvimento de atletas.